Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

previous arrow
next arrow
Slider

Desenvolvimento dos Cuidados na área Materno-Infantil na Região Transfronteiriça Algarve-Andaluzia

Identificação do Projecto

Acrónimo: 0467_MATERNO_INFANTIL_5_E

Título do Projecto: Desenvolvimento dos Cuidados na área Materno-Infantil na Região Transfronteiriça Algarve-Andaluzia

Área de Cooperação: Alentejo / Algarve/ Andaluzia

Temática: Cooperação e gestão conjunta para a integração socioeconómica e institucional

Convocatória: segunda convocatória do Programa de Cooperação Transfronteiriça Espanha – Portugal (POCTEP) 2007 – 2013

 

Beneficiários

Organismos: Serviço Andaluz de Salud (SAS), Administração Regional de Saúde do Algarve, IP

NUT III: ES615 – Huelva, PT150 – Algarve

Região: Algarve – Andaluzia

País: Portugal – Espanha

 

Financiamentos

Custo total do projecto: 689.802,00€

FEDER total aprovado: 517.351,50€

Serviço Andaluz de Salud: 583.135,33€ (FEDER 437.351,50€)

Administração Regional de Saúde do Algarve, IP: 106.666,67€ (FEDER 80.000,00€)

 

Calendário:

Data de início do projecto: 05-04-2011

Data do fim do projecto: 31-12-2012

 

Características Transfronteiriças:

Os Estados-Membros são responsáveis pelos cuidados de saúde prestados no seu território. Os pacientes devem poder confiar nos níveis de qualidade e segurança do tratamento que recebem noutro Estado-Membro, se submeterem-se regularmente a monitorização e baseando-se em boas práticas médicas.

A União Europeia irá fornecer as bases para apoiar o desenvolvimento de redes europeias de referência, que vai reunir, com carácter voluntário, a centros especializados dos diferentes Estados-Membros. Esta colaboração tem grande potencial para beneficiar os pacientes, que podem ter acesso com mais facilidade a cuidados altamente especializados. Também pode ser útil para os sistemas de saúde, uma vez que facilitaria a utilização de recursos, por exemplo, unindo os recursos necessários para tratar patologias pouco comuns. O projecto de cuidado de saúde materno-infantil e as suas actividades de humanização do parto tentam contribuir para melhorar a saúde e a qualidade de vida tantos dos filhos como das mães.

 

Objectivos

Objectivo Geral:

Promover e desenvolver uma rede conjunta de infra-estruturas logísticas de cooperação sanitária no âmbito dos cuidados de saúde na área materno-infantil. Promover cuidados de saúde humanizados no parto normal como um objectivo de vinculação entre os hospitais da região transfronteiriça.

 

Objectivos Específicos:

Durante a última década em toda a União Europeia está-se levando a cabo um importante esforço de humanização do parto e dos cuidados de saúde perinatais. A implementação de cuidados de saúde humanizados ao parto e cuidados de saúde perinatais na região transfronteiriça do Algarve-Andaluzia constitui um objectivo específico deste projecto.

  • Facilitar aos grupos de mulheres em situação de deficiência, vulnerabilidade ou risco de exclusão uma atenção adequada à sua situação, tanto nas suas consultas de ginecologia como no momento da assistência ao parto.
  • Como parte dos cuidados de saúde humanizados ao parto normal, oferecer às mulheres a possibilidade de utilizar posições distintas da tradicional de litotomia para dar à luz.
  • Promoção do aleitamento materno. Há provas suficientes que demonstram que a alimentação com leite materno tem vantagens importantes para os neonatos prematuros ou de peso muito baixo. A transmissão de factores imunoprotectores e de crescimento podem prevenir complicações, como a enterocolite necrosante e a infecção invasiva 1-3.
  • Garantir as boas práticas baseadas na evidência científica na área dos cuidados de saúde primários para mães e filhos.
  • Estabelecer linhas de investigação conjunta na área da saúde materno-infantil. Uma das linhas de investigação seria a realização de um estudo sobre a modalidade de parto que oferece melhores resultados para a mãe e para o recém-nascido em termos de complicações e conforto.

 

Actividades do Projecto:

  • Promover cuidados de saúde humanizados no parto normal. Aquisição de Equipamento para possibilitar diferentes modalidades de parto.
  • Adaptação de consultas obstétricas para pessoas com deficiência e grupos em risco de exclusão social.
  • Garantiras boas práticas baseadas na evidência científica na área dos cuidados de saúde de mães e filhos.
  • Promover o aleitamento materno
  • Estabelecer linhas de investigação conjunta na área da saúde materno-infantil.

 

Resultados esperados:

Conseguir que o processo de nascimento se converta num acto natural e dispor de unidades terapêuticas inseridas numa unidade obstétrica com fácil acesso a área cirúrgica para transferência da mãe, em caso de complicação, o mais rápido possível.

A concepção actual do parto no hospital tem muitas desvantagens para a mulher:

  • Isola a mulher grávida da sua família e / ou do seu potencial acompanhante;
  • Implica deslocações difíceis e incómodos da parturiente entre os sectores de dilatação, parto e recuperação.

Ao dispor destas unidades, pode-se assistir a partos de alto e baixo risco e permitir efectuar de maneira segura a monitorização e analgesia local, se aplicável.

Os resultados esperados a partir desta actividade são o de facilitar o acesso a exames ginecológicos e obstétricos de grupos de mulheres com deficiência ou outras patologias, como a obesidade que exige equipamento adequado as suas necessidades.

Ter profissionais de saúde e pais sensibilizados e conscientes da importância do aleitamento materno para o sistema imunológico do recém-nascido.

  • Os programas estruturados que combinam a educação em aleitamento materno com conselhos orientados para a mudança de comportamentos, aumentam a frequência da iniciação e sua continuação para além dos três meses.

Com a realização de um estudo de âmbito regional, espera-se conhecer os resultados que em termos de saúde e bem-estar se obtêm tanto para o recém-nascido como para a parturiente.

O principal resultado em termos de gestão e coordenação é que este projecto se possa realizar no cronograma previsto, cumprindo assim os objectivos planeados e a realização das actividades previstas.

Outro resultado a ser alcançado é uma boa coordenação da parceria e a realização dos encontros previstos para o Algarve e a Andaluzia.

Finalmente, esperamos que este projecto abra uma nova linha de trabalho e que se perpetue ao longo do tempo e que se faça a divulgação do projecto e seus resultados tanto a profissionais como para o público em geral.

Identificação do Projecto

Acrónimo: 0467_MATERNO_INFANTIL_5_E

Título do Projecto: Desenvolvimento dos Cuidados na área Materno-Infantil na Região Transfronteiriça Algarve-Andaluzia

Área de Cooperação: Alentejo / Algarve/ Andaluzia

Temática: Cooperação e gestão conjunta para a integração socioeconómica e institucional

Convocatória: segunda convocatória do Programa de Cooperação Transfronteiriça Espanha – Portugal (POCTEP) 2007 – 2013

 

Beneficiários

Organismos: Serviço Andaluz de Salud (SAS), Administração Regional de Saúde do Algarve, IP

NUT III: ES615 – Huelva, PT150 – Algarve

Região: Algarve – Andaluzia

País: Portugal – Espanha

 

Financiamentos

Custo total do projecto: 689.802,00€

FEDER total aprovado: 517.351,50€

Serviço Andaluz de Salud: 583.135,33€ (FEDER 437.351,50€)

Administração Regional de Saúde do Algarve, IP: 106.666,67€ (FEDER 80.000,00€)

 

Calendário:

Data de início do projecto: 05-04-2011

Data do fim do projecto: 31-12-2012

 

Características Transfronteiriças:

Os Estados-Membros são responsáveis pelos cuidados de saúde prestados no seu território. Os pacientes devem poder confiar nos níveis de qualidade e segurança do tratamento que recebem noutro Estado-Membro, se submeterem-se regularmente a monitorização e baseando-se em boas práticas médicas.

A União Europeia irá fornecer as bases para apoiar o desenvolvimento de redes europeias de referência, que vai reunir, com carácter voluntário, a centros especializados dos diferentes Estados-Membros. Esta colaboração tem grande potencial para beneficiar os pacientes, que podem ter acesso com mais facilidade a cuidados altamente especializados. Também pode ser útil para os sistemas de saúde, uma vez que facilitaria a utilização de recursos, por exemplo, unindo os recursos necessários para tratar patologias pouco comuns. O projecto de cuidado de saúde materno-infantil e as suas actividades de humanização do parto tentam contribuir para melhorar a saúde e a qualidade de vida tantos dos filhos como das mães.

 

Objectivos

Objectivo Geral:

Promover e desenvolver uma rede conjunta de infra-estruturas logísticas de cooperação sanitária no âmbito dos cuidados de saúde na área materno-infantil. Promover cuidados de saúde humanizados no parto normal como um objectivo de vinculação entre os hospitais da região transfronteiriça.

 

Objectivos Específicos:

Durante a última década em toda a União Europeia está-se levando a cabo um importante esforço de humanização do parto e dos cuidados de saúde perinatais. A implementação de cuidados de saúde humanizados ao parto e cuidados de saúde perinatais na região transfronteiriça do Algarve-Andaluzia constitui um objectivo específico deste projecto.

  • Facilitar aos grupos de mulheres em situação de deficiência, vulnerabilidade ou risco de exclusão uma atenção adequada à sua situação, tanto nas suas consultas de ginecologia como no momento da assistência ao parto.
  • Como parte dos cuidados de saúde humanizados ao parto normal, oferecer às mulheres a possibilidade de utilizar posições distintas da tradicional de litotomia para dar à luz.
  • Promoção do aleitamento materno. Há provas suficientes que demonstram que a alimentação com leite materno tem vantagens importantes para os neonatos prematuros ou de peso muito baixo. A transmissão de factores imunoprotectores e de crescimento podem prevenir complicações, como a enterocolite necrosante e a infecção invasiva 1-3.
  • Garantir as boas práticas baseadas na evidência científica na área dos cuidados de saúde primários para mães e filhos.
  • Estabelecer linhas de investigação conjunta na área da saúde materno-infantil. Uma das linhas de investigação seria a realização de um estudo sobre a modalidade de parto que oferece melhores resultados para a mãe e para o recém-nascido em termos de complicações e conforto.

 

Actividades do Projecto:

  • Promover cuidados de saúde humanizados no parto normal. Aquisição de Equipamento para possibilitar diferentes modalidades de parto.
  • Adaptação de consultas obstétricas para pessoas com deficiência e grupos em risco de exclusão social.
  • Garantiras boas práticas baseadas na evidência científica na área dos cuidados de saúde de mães e filhos.
  • Promover o aleitamento materno
  • Estabelecer linhas de investigação conjunta na área da saúde materno-infantil.

 

Resultados esperados:

Conseguir que o processo de nascimento se converta num acto natural e dispor de unidades terapêuticas inseridas numa unidade obstétrica com fácil acesso a área cirúrgica para transferência da mãe, em caso de complicação, o mais rápido possível.

A concepção actual do parto no hospital tem muitas desvantagens para a mulher:

  • Isola a mulher grávida da sua família e / ou do seu potencial acompanhante;
  • Implica deslocações difíceis e incómodos da parturiente entre os sectores de dilatação, parto e recuperação.

Ao dispor destas unidades, pode-se assistir a partos de alto e baixo risco e permitir efectuar de maneira segura a monitorização e analgesia local, se aplicável.

Os resultados esperados a partir desta actividade são o de facilitar o acesso a exames ginecológicos e obstétricos de grupos de mulheres com deficiência ou outras patologias, como a obesidade que exige equipamento adequado as suas necessidades.

Ter profissionais de saúde e pais sensibilizados e conscientes da importância do aleitamento materno para o sistema imunológico do recém-nascido.

  • Os programas estruturados que combinam a educação em aleitamento materno com conselhos orientados para a mudança de comportamentos, aumentam a frequência da iniciação e sua continuação para além dos três meses.

Com a realização de um estudo de âmbito regional, espera-se conhecer os resultados que em termos de saúde e bem-estar se obtêm tanto para o recém-nascido como para a parturiente.

O principal resultado em termos de gestão e coordenação é que este projecto se possa realizar no cronograma previsto, cumprindo assim os objectivos planeados e a realização das actividades previstas.

Outro resultado a ser alcançado é uma boa coordenação da parceria e a realização dos encontros previstos para o Algarve e a Andaluzia.

Finalmente, esperamos que este projecto abra uma nova linha de trabalho e que se perpetue ao longo do tempo e que se faça a divulgação do projecto e seus resultados tanto a profissionais como para o público em geral.

Voltar
RSE - Area Cidadão
at venenatis nunc diam dapibus sed