Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

previous arrow
next arrow
Slider

O regresso às aulas – conselhos saudáveis

No regresso às aulas, a alimentação das crianças deve merecer alguma preparação, adquirindo, por exemplo, uma lancheira térmica onde possam ser transportados alguns alimentos. Para programar a alimentação em tempo de aulas deve-se atender às preferências alimentares, aos horários da escola e das atividades extraescolares, bem como à atividade física praticada.

Cumprindo as recomendações genéricas da alimentação saudável, pretende-se que esta seja completa, equilibrada e diversificada, distribuindo a totalidade dos alimentos a ingerir durante o dia por diversas refeições, cujo intervalo não deve exceder as três horas e meia, sendo portanto desejável fazer o pequeno-almoço, as merenda(s) da manhã e da tarde, o almoço, o jantar e a ceia.

O pequeno-almoço é fundamental para quebrar o jejum noturno e iniciar o dia com boa aptidão física e intelectual, maior capacidade de concentração, com menor fadiga e sonolência, e portanto maior rendimento escolar. Deve ser tomado, se possível, na primeira meia hora após levantar, em casa, à mesa e em família. Nesta refeição deve haver, fruta fresca da época, pão ou cereais (preferir os não/ pouco açucarados) e leite ou seus equivalentes, sem esquecer a água.

A(s) merenda(s) da manhã e da tarde contribuem para ter um bom nível de energia ao longo do dia, uma boa concentração e uma favorável gestão do apetite, prevenindo a acumulação de fome para a refeição seguinte. A composição destas refeições depende do número de horas que medeia a refeição imediatamente anterior e posterior. Podem incluir uma peça de fruta fresca da época e/ ou leite ou iogurte, e se possível, pão, bolachas pouco açucaradas ou cereais, mas sem exageros, pois de contrário o apetite para o almoço e/ ou jantar pode ser posto em causa.

Sempre que o almoço não for possível em casa, com a família, há que optar por alternativas saudáveis, nomeadamente os refeitórios escolares, os quais fornecem garantidamente uma refeição completa, com sopa, 2.º prato e fruta. Felizmente, existem já muitos refeitórios escolares que funcionam exemplarmente, proporcionando uma alimentação saudável de elevada qualidade nutricional.

O jantar deve ser em ambiente familiar, no qual se deve complementar a composição do almoço. Quando necessário, podem ser supridas eventuais falhas nutricionais, como a variedade dos alimentos, a alternância entre pescado/ carne, a diversificação das preparações culinárias e a riqueza de hortofrutícolas.

Sempre que o intervalo entre a hora de jantar e a hora de deitar justifique, deverá ser feita ainda uma ceia, sobretudo para pré-adolescentes e adolescentes. Esta refeição será necessariamente leve, podendo ser constituída apenas por um iogurte ou um copo de leite, acompanhados facultativamente com pão, bolachas ou cereais.

Finalmente, resta-nos salientar a importância de preparar o regresso às aulas com o planeamento de atividades extraescolares que contribuam para o aumento da prática da atividade física organizada, de forma a promover o peso saudável!

Teresa Sofia Sancho – Nutricionista

Departamento de Saúde Pública e Planeamento da Administração Regional de Saúde do Algarve, IP

Voltar
Area Cidadão