Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

previous arrow
next arrow
Slider

Projetos: CRESC ALGARVE 2020 – Programa Operacional Regional do Algarve

POAlgarve_PT2020_FEDER

 

Candidaturas apresentadas pela Administração Regional de Saúde do Algarve, IP, e aprovadas pelo CRESC ALGARVE 2020 – Programa Operacional Regional do Algarve

 

DESIGNAÇÃO DO PROJETO: Unidades de Saúde Móveis de Proximidade : application-pdf ALG-06-4842-FEDER-000001

OBJETIVO PRINCIPAL: Aquisição de 7 (sete) unidades de saúde móveis de proximidade, para prestação de cuidados de saúde a populações de territórios rurais e de baixa densidade (municípios de Alcoutim, Aljezur, Loulé, Monchique, São Brás de Alportel, Silves e Tavira)

REGIÃO DE INTERVENÇÃO: Algarve – municípios de Alcoutim, Aljezur, Loulé, Monchique, São Brás de Alportel, Silves e Tavira.

ENTIDADE BENEFICIÁRIA:  Administração Regional de Saúde do Algarve, I. P. (líder e beneficiária não financeira) e câmaras municipais de Alcoutim, Aljezur, Loulé, Monchique, São Brás de Alportel, Silves e Tavira

data de aprovação: 21/12/2016; data de início: 03/10/2016; data de conclusão: 28/09/2018

total elegível: 700.000,00€; apoio da UE: 560.000,00€; apoio público nacional: 140.000,00€

 

DESIGNAÇÃO DO PROJETO: Unidades de Saúde Móveis de Proximidade – 2ª fase:application-pdf ALG-06-4842-FEDER-000002

OBJETIVO PRINCIPAL: Aquisição de 3 (três) unidades de saúde móveis de proximidade, para prestação de cuidados de saúde a populações de territórios rurais e de baixa densidade (municípios de Albufeira, Castro Marim e Portimão)

REGIÃO DE INTERVENÇÃO:  Algarve – municípios de Albufeira, Castro Marim e Portimão.

ENTIDADE BENEFICIÁRIA: Administração Regional de Saúde do Algarve, I. P. (líder e beneficiária não financeira) e câmaras municipais de Albufeira, Castro Marim e Portimão.

data de aprovação: 21/12/2016; data de início: 06/01/2017; data de conclusão: 31/12/2018

total elegível: 300.000,00€; apoio da UE: 240.000,00€; apoio público nacional: 60.000,00€

OBJETIVOS, ATIVIDADES E RESULTADOS ESPERADOS/ATINGIDOS:

Objetivos da Candidatura: Diminuir a assimetria no acesso aos cuidados de saúde primários do Serviço Nacional de Saúde, assegurando nos territórios rurais e de baixa densidade uma cobertura adequada dos utentes às unidades funcionais dos Agrupamentos de Centros de Saúde do Algarve; Diminuir a probabilidade de populações envelhecidas e isoladas das zonas rurais e de baixa densidade do Algarve não serem seguidos regularmente, de forma programada, pelos cuidados de saúde primários do Serviço Nacional de Saúde; Qualificar a rede de equipamentos de saúde existente, adaptando-a a necessidades prementes e reduzir desigualdades e promover a inclusão social

Atividades: Aquisição de 10 (dez) – 7 (sete) na 1.ª fase e 3 (três) na 2.ª fase – unidades de saúde móveis de proximidade para prestação de cuidados de saúde, equipadas também para diagnóstico, que permitam atuar na prevenção, diagnóstico e vigilância da doença em populações residentes em territórios desfavorecidos – rurais e de baixa densidade – complementando os cuidados de saúde atualmente prestados e, em particular, suprindo deficiências de identificação e intervenção precoce junto das populações

Resultados esperados: Com o alargamento da atual rede de equipamentos de saúde espera-se responder à necessidade geral de garantir cuidados de saúde a populações afastadas da normal prestação de cuidados e à necessidade particular de identificar atempadamente diversas enfermidades características das populações visadas e de intervir precocemente sobre as mesmas, minimizando os prejuízos para a saúde resultantes da menor frequência de consultas de saúde. O investimento previsto tornará mais acessível a prestação de cuidados de saúde em áreas geográficas desfavorecidas, promovendo ainda a inclusão social, maior qualidade de vida e maior igualdade de oportunidades para as suas populações

Indicadores de sucesso da operação: Espera-se contribuir diretamente para o indicador de realização “População abrangida por serviços de saúde melhorados”: meta de 107 039 (1.ª fase) e de 24 610 (2.ª fase) e para o indicador de resultado “n.º de utentes atendidos em unidades de saúde móveis intervencionadas (no 1.º ano após entrada em funcionamento do equipamento)”, através do número de atos programados de prestação de cuidados de saúde: 15 000 (1.ª fase) e 6 000 (2.ª fase).

Consultar:

application-pdf-1ALG-06-4842-FEDER-000001 – Alcoutim

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000001 – Aljezur

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000001 – Loulé

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000001 – Monchique

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000001 – São_Brás de Alportel

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000001 – Silves

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000001 – Tavira

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000002 – Albufeira

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000002 – Castro_Marim

application-pdfALG-06-4842-FEDER-000002 – Portimão


DESIGNAÇÃO DO PROJETO:  Sistema de Gestão Documental da ARS Algarve – application-pdf ALG-08-0550-FEDER-000019

OBJETIVO PRINCIPAL: Implementação de um sistema de gestão documental (SGD), promovendo a saúde em linha, para pedido pelo utente e mais célere tramitação e resposta pela ARS Algarve.

REGIÃO DE INTERVENÇÃO:  Todo o território dos dezasseis municípios do Algarve: Albufeira, Alcoutim, Aljezur, Castro Marim, Faro, Lagoa, Lagos, Loulé, Monchique, Olhão, Portimão, São Brás de Alportel, Silves, Tavira, Vila do Bispo e Vila Real de Santo António.

ENTIDADE BENEFICIÁRIA: Administração Regional de Saúde do Algarve, I. P.

data de aprovação: 21/12/2016; data de início: 01/01/2017; data de conclusão: 31/12/2018

total elegível: 575.131,6 €; apoio da UE: 460.105,28 €; apoio público nacional: 115.026,32 €

OBJETIVOS, ATIVIDADES E RESULTADOS ESPERADOS/ATINGIDOS:

Objetivos da Candidatura:

O sistema de gestão documental (SGD) promove a saúde em linha, nomeadamente a consulta e obtenção de dados e documentos do processo clínico do utente e outros, diminuindo o esforço e tempo de utentes e profissionais na resposta a pedidos, com ganhos de eficiência, com impacto nos custos de contexto por via do tempo não perdido.

Atividades:

  • Despesas com pessoal para capacitação institucional e assegurar sustentabilidade à operação;
  • Aquisição de bens para arquivo físico de documentos em suporte analógico (papel) de suporte ao SGD;
  • Publicidade e divulgação dos investimentos e dos apoios públicos obtidos;
  • Adequação de instalações elétricas e informáticas;
  • Aquisição de equipamento informático;
  • Desenvolvimento aplicacional (de software) para a organização, produção de manuais e transferência de saber-fazer para a organização.

Resultados esperados:

  • Modernização administrativa da ARS Algarve, pela reorganização e capacitação dos serviços;
  • Evolução da ARS Algarve e seus serviços para organização nativa digital;
  • Responder à necessidade de digitalizar documentação em suporte analógico logo à entrada;
  • Diminuir progressivamente a digitalização à entrada até ao mínimo indispensável à garantia de inclusão e respeito pela preferência do utente na modalidade de interação com a ARS Algarve e seus serviços;
  • Apoiar o utente no interface digital com a ARS Algarve, assegurando serviços de acolhimento e apoio ao utente para registo no SGD das suas solicitações;
  • Incrementar o acesso e a resposta da ARS Algarve, através dos seus sítios institucionais em linha na internet, às necessidades dos utentes, nos próprios sítios ou por ligação às plataformas autónomas com o Portal de Dados em Saúde / Portal do Utente do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e o Portal do Cidadão, incluindo por utilização das capacidades de autenticação com o cartão de cidadão e respetiva chave móvel digital, numa lógica de interoperabilidade na Administração Pública.

Indicadores de sucesso da operação: 

  • Realização: Serviços da Administração Pública apoiados: 1 (n.º), 2019 (ano alvo)
  • Resultado: Aumento do n.º de acessos ao “site” da entidade intervencionada: 5000 (n.º), 2019 (ano alvo).
Voltar
RSE - Area Cidadão
mi, vulputate, libero eget commodo dolor.